domingo, 28 de julho de 2019

CIDADES ESPETACULARES - SAMARCANDA, UZBEQUISTÃO

O nome Uzbequistão soa um tanto exótico para os brasileiros. E é realmente um país bem distante da nossa realidade. Localizado na Ásia Central, essa república de cúpulas azuis já foi parte da União Soviética e é país independente desde 1991. A capital, Tashkent, ainda tem traços dos tempos comunistas, mas é uma série de cidades no interior do país é que dão fama ao local - Khiva, Bukhara e, sobretudo, Samarcanda (Samarqand, em uzbeque). 

Samarcanda, cidade com localização estratégica na antiga "Rota da Seda",  tem importância histórica e cultural inestimável. É patrimônio mundial cultural da UNESCO sob o singelo, porém marcante, nome de "Samarcanda - Cruzamento de Culturas".   Além dos soviéticos, por ali estiveram também Alexandre, o Grande, os mongóis, árabes,  mas, sobretudo, Tamerlão, o fundador e líder do "Império Timúrida", que, além de muitas conquistas, consolidou o islamismo e deixou a cidade de Samarcanda como herança de arte com sua belíssima arquitetura.

Praça Registan, Samarcanda. Por Ekrem Canli - Own work, CC BY-SA 3.0,WC 
Os pontos principais da cidade são: a Praça Registan, antigo centro comercial na era da rota da seda; o complexo de Shah-I-Zinda, formado por 11 mausoléus, entre eles o do primo de Maomé, Kusam Ibn Abbas, que difundiu o islã na região no século VII d.C; a Mesquita Bibi-Khanun, que possui um grande Corão de mármore e já foi a maior do mundo, até um grande terremoto lhe causar imensos danos em 1897; Gur Emir, que é o túmulo de Tamerlão (Timur); e o Observatório de Ulugh Beg, o primeiro do oriente. Há ainda outros mausoléus na cidade. 



Mesquita Bibi-Khanum, em Samarcanda. By Bobyrr - Own work, CC BY-SA 4.0, WC

Gur Emir, o túmulo de Tamerlão em Samarcanda. By Jean-Pierre Dalbéra CC BY 2.0, WC

Mausoléu de Bibi Khanum. By Doris Antony, Berlin - Own work, CC BY-SA 3.0, WC

Complexo de Shah-i-Zinda. Foto de Aleksandr Zykov, CC BY-SA 2.0, WC.
Observatório de Ulugh Beg, Samarcanda. Foto de Michel Benoist , CC BY 2.5, WC

sexta-feira, 19 de abril de 2019

LUGARES ESPETACULARES - CAPELLA DEGLI SCROVEGNI, PÁDUA

Localizada a menos de uma hora de trem de Veneza, Pádua, no Vêneto italiano, guarda uma preciosidade artística: a "Capella degli Scrovegni"(ou, de maneira simplificada e em nosso idioma, Capela Scrovegni), também chamada de "Capela Arena" (isso porque havia um anfiteatro romano - arena - no local em que foi construída). 

Capela Scrovegni, Pádua, Itália. CC BY-SA 3.0. Foto: Andrea Pirrodi. In: WC

Trazemos aqui, nas explicações, trecho do livro "Veneza e o Vêneto", da Lonely Planet, escrito por Alison Bing e Paula Hardy:

"Para Dante, Da Vinci e Vasari, foi Giotto quem deu fim a Idade das Trevas com seus afrescos de 1303-5. O estilo comovente e moderno do artista mudou a forma como as pessoas se viam: não mais como vassalos humildes, mas como veículos para o divino, ainda que imperfeitos. Isso se adequou especialmente à capela que Enrico Scrovegni encomendou em memória de seu pai que, como agiota, teve negado um enterro cristão.

Até Giotto, os fiéis medievais estavam acostumados aos olhares vazios dos santos no alto dos tronos góticos dourados; ele introduziu figuras biblícas como  personagens em cenários reconhecíveis. Os espectadores fofocam enquanto uma Ana de meia-idade beija Joaquim com ternura; um exausto José, pai recente, dorme em pé na manjedoura; Jesus olha Judas de cima enquanto o traidor lhe dá o beijo fatal."

A Capela Scrovegni possui, em seu anterior, um ciclo de afrescos de Giotto (1267 -1337), que enfoca desde Joaquim e Ana (avôs de Jesus), a Virgem Maria até momentos importantes de Jesus Cristo em sua caminhada neste mundo. Enfim, os fatos bíblicos mais importantes estão ali pintados. É um interior belíssimo, com forte predominância da cor azul, uma autêntica obra de arte. 

Interior da Capela. Foto: José L. B. Vieira. CC BY-SA 4.0 . In: WC
Vejamos alguns dos mais belos afrescos de Giotto:

A Expulsão de Joaquim, por Giotto.
Oferenda de Joaquim, por Giotto.
O Sonho de Joaquim, por Giotto.
Anunciação- Anjo Gabriel enviado por Deus, por Giotto.
Anunciação - A Virgem Recebe a Mensagem, por Giotto.

Joaquim entre os Pastores. Giotto.
Anunciação à Sant´Ana. Giotto. 








Bodas da Virgem, Giotto. 
 

Natividade, por Giotto.     
Bodas de Canaã, por Giotto.
Adoração dos Magos, por Giotto.
Batismo de Cristo, por Giotto.

Ressureição de Lázaro, por Giotto.
Cristo Humilhado, por Giotto.
Ressureição, por Giotto.

A Traição de Judas, por Giotto.

O Beijo de Judas, por Giotto.
Caminho para o Calvário, por Giotto.

Crucificação, Giotto.

A Lamentação, por Giotto.


Apresentação de Maria no Templo, Giotto.

Lava-pés, por Giotto.


A Última Ceia, de Giotto.
Entrada em Jerusalém, por Giotto.


Ascensão de Cristo, Giotto.
Há ainda na capela afrescos que mostram os vícios e as virtudes - são sete vícios e sete virtudes. Vejamos:

Prudência. Giotto.
Loucura. Giotto.
Retidão. Giotto.
Inconstância. Giotto.
Temperança. Giotto.
Ira, por Giotto.
Justiça, por Giotto.
A Injustiça, por Giotto.
Fé, por Giotto.
Infidelidade, por Giotto.
Caridade, por Giotto.
Inveja, por Giotto.
Esperança, por Giotto.
Desespero, por Giotto.
Para a visita, algumas dicas úteis: há um vídeo introdutório de 10 minutos; a visita à capela dura 15 minutos além dos 10 do vídeo; e deve-se marcar com antecedência, on line ou por telefone, notadamente se for a visita nos meses de verão (abril a outubro) ou mesmo em finais de semana; ingresso noturno dá direito a 30 minutos na igreja.

domingo, 14 de abril de 2019

LUGARES ESPETACULARES - CIRENE, LÍBIA

Inscrita como Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1982, Cirene, na Líbia, é hoje um sítio arqueológico em perigo, devido à instabilidade política daquele país do norte da África.

A cidade antiga de Cirene foi colônia dos gregos de Thera (hoje Santorini), sendo uma das principais cidades do mundo helênico. Foi romanizada e conservou-se como cidade importante até o grande terremoto de 365, que a destruiu. 

Templo de Zeus em Cirene (externo). Foto: domínio púlblico/Wikimedia Commons

Templo de Zeus (aspecto interno). Foto: domínio púlblico/Wikimedia Commons

Pórtico de Hermes, em Cirene. Foto: domínio púlblico/Wikimedia Commons


Ágora de Cirene. Foto: domínio púlblico/Wikimedia Commons


Teatro (Odeon) de Cirene. Foto: domínio púlblico/Wikimedia Commons

Templo de Apolo em Cirene. Foto: domínio púlblico/Wikimedia Commons
Cirene é terra de um importante filósofo grego, Aristipo (435 a.C - 356 a.C), que era conhecido também por "Aristipo de Cirene".  Discípulo de Sócrates, foi o primeiro filósofo a ser remunerado. Fundou a "Escola Cirenaica" (ou "Hedonista"), a qual pregava que o prazer era o bem supremo. Além de Aristipo, outros filósofos e cientistas surgiram nessa cidade, podendo ser citados Carméades de Cirene, Lácides de Cirene (Séc. III a.C - 205 a.C) e o astrônomo Eratóstenes (276 a.C- 194 a.C), este último que calculou a circunferência da Terra.

Há, também, várias menções à Cirene na Bíblia, sendo de se destacar a citação de Simão de Cirene, que, segundo o Evangelho de Marcos, carregou a cruz de Cristo até o gólgota (colina em que Jesus foi sacrificado).

Hoje a região oriental da Líbia é chamada de "Cirenaica", também devido à essa cidade.  

Redescoberta no século 18, hoje é um sítio arqueológico belíssimo, próximo à vila de Xaate, que causa preocupação quanto à sua conservação, conforme já mencionado acima.