sábado, 14 de julho de 2012

COPENHAGUE, A PARADOXAL CAPITAL DINAMARQUESA

"Viajar é viver" (Hans Christian Andersen)

Copenhague. Capital da Dinamarca, a cidade encanta logo à primeira vista. Trata-se de um belo conjunto de edifícios históricos que nos trazem à baila e resgatam na memória histórias de contos de fadas.

Não é à toa esta percepção. Copenhague exala esse ar muitas vezes infantil, o que já nos remete à principal figura do país, conhecida mundialmente, que viveu no século XIX por aquelas bandas: Hans Christian Andersen. Embora nascido em Odense (terceira cidade do país), Hans Christian Andersen residiu boa parte de sua vida em um dos cartões-postais da cidade: o pitoresco bairro de Nyhavn.

Ainda continuando no espírito infantil, vale lembrar também que a Lego foi criada, em 1934, por um dinamarquês - Ole Kirk Christiansen.O Lego, cujo nome vem do dinamarquês "brincar bem", é uma espécie de brinquedo que prima pela união de pequenas peças, que produzem lindos artigos, que vão de um monumento até personagens de "Star Wars". É superinteressante para educação de crianças.

Aliás, mister aduzir que existem no mundo 04 (quatro) parques temáticos "Lego", sendo o mais antigo o da Dinamarca, localizado em Billund - a famosa "Legoland". Os outros estão localizados na Califórnia (Carlsbad), na Grã-Bretanha (Windsor) e na Alemanha (Gunzburg).

Na capital, é possível ver várias dessas montagens interessantes em  lojas lego localizadas no centro. Por exemplo, Nyhavn montada em Lego, superbacana, conforme se vê na foto abaixo.



Nyhavn, principal ponto turístico de Copenhague, em Lego.

Mas nem só de espírito infantil vive a cidade dinamarquesa. E aí que aparece o seu paradoxo: é uma cidade adulta, bem adulta, diga-se.

Os dinamarqueses são bastante ligados à vida noturna. E mais. Fumam, fumam, fumam. As ruas da cidade estão impregnadas com as famosas " bitucas" de cigarro. E aí reside, talvez, um ponto negativo da cultura desse pequeno país do norte europeu.

Pausa na descrição da capital. Um pouco do país - a Dinamarca.

A Dinamarca conta com uma população estimada em cinco milhões e duzentos mil  habitantes. Desses, grande parte vive nos centros urbanos - mais de quatro milhões. Os maiores centros urbanos são Copenhague, com um milhão e meio na sua região metropolitana, Aarhus, com trezentos mil e Odense, com cento e setenta e cinco mil.

Como os outros países da Escandinávia, o nível de vida da população é bem alto. A renda per capita do país gira em torno dos impressionantes 55.000 dólares anuais.

A economia tem como ponto forte a indústria de laticínios, além da exportação de carnes bovinas e suínas, diante da existência de um grande número de fazendas em seu território repleto de planícies.

Dos três países escandinavos, o país é o que utiliza mais o transporte por bicicletas. A bicicleta é uma instituição nacional, respaldada por rigorosas leis que protegem os ciclistas.

O país segue a tradição da região e é uma monarquia parlamentarista. É o reino mais antigo do mundo. O rei mais lembrado de todos é "Christian IV" que reinou no século XVII e construi alguns dos prédios mais famosos de Copenhagen, a exemplo do prédio da Bolsa de Valores, da "Torre Circular" e o "Castelo de Fredericksborg".

O idioma é o dinamarquês e a religião predominante é o protestantismo. A moeda, a coroa dinamarquesa.

A Dinamarca é um conjunto de ilhas. É também o menor dos países da região. Copenhagen, a capital, está localizada na ilha denominada "Zelândia". Aliás, a capital é separada por um estreito da Suécia, cuja travessia de balsa é realizada em vinte minutos.

Além das 406 ilhas que compõem o país, temos como territórios dinamarqueses as Ilhas Faroe e a Groenlândia.

A Groenlândia, aliás, tem esse nome em virtude uma promoção de marketing do viking dinarmarquês Erik, o Vermelho. Erik queria povar a região e sempre ressaltava que as terras lá eram verdes. O que, sabidamente, é uma mentira, já que a Groenlândia é uma terra gelada. Groen, "green", "verde", é essa a origem do nome do território.

Hans Christian Andersen.

O maior nome da literatura dinamarquesa, e um dos maiores nomes mundiais, é sem dúvida Hans Christian Andersen (1805-1875).

Escritor de conto de fadas, Andersen nasceu em Odense, uma das principais cidades dinamarquesas, em 1805.

É dele as obras "A Pequena Sereia", "O Soldadinho de Chumbo", "O Patinho Feio", dentre outros sucessos da literatura infantil mundial.

Viveu durante muitos anos em Nyhavn, uma das principais atrações turísticas de Copenhague.

Voltando à Copenhague. As atrações da capital dinamarquesa.

A mais concorrida atração da capital do conto de fadas é justamente a escultura da "Pequena Sereia". É praticamente impossível aproximar-se dela, dada a quantidade de pessoas que se aglomeram sobre a pequena notável. É o símbolo nacional da Dinamarca. Para quem gosta de futebol, deve se lembrar do jogo Brasil e Dinamarca da Copa de 1998: Brian Laudrup marcou um gol contra o Brasil e a homenageou. O jogo, felizmente, terminou 3 a 2 a favor do Brasil, pelas quartas-de-final daquela Copa.


"A Pequena Sereia", símbolo da Dinamarca

Nyhavn é, além do lugar onde Andersen viveu, um dos lugares mais concorridos da capital dinamarquesa, tendo em vista que é lá que ocorre o "happy hour" da bela população daquele país. É um porto bem bacana, cheio de restaurantes.


Nyhavn.

A história de Copenhague começou, ainda no século XII, pelo "Palácio de Christiansborg". É simplesmente notável sua arquitetura. Curiosidade: Christiansborg já ardeu em chamas por duas vezes ao longo de sua história - o seu desenho atual é datado de 1916. O nome é em homenagem ao já citado anterior rei Christian IV, o mais venerado da Dinamarca, responsável pelo embelezamento da capital.


Christiansborg.

Castelo renascentista, o "Frederiksborg" é uma opção de visita bastante apreciada quando se está na capital dinamarquesa.

A "Rundetarn", ou "Torre em Espiral", é um belíssimo prédio construído pelo rei Christian IV, o mais famoso soberano dinamarquês de todos os tempos. O mesmo arquiteto que planejou a "Rundetarn" também realizou a "Trinatis Church", que fica próxima à torre.

Outra atração de Copenhague é, sem dúvida, o Tivoli, um parque de diversões bastante interessante, que conta com um grande espaço para shows e eventos. Também tem muitos restaurantes, além de interessantes e vistosos monumentos, a exemplo de uma réplica do Taj Mahal e um prédio ao estilo chinês.

Praça belíssima, e bastante central, é a "Praça da Prefeitura".  É perto dali que o comércio de Copenhage é mais forte. Fica próxima também ao "Tivoli".


A grande praça da Prefeitura. O centro de Copenhague.

Enfim, essas são as atrações principais desse país maravilhoso- a Dinamarca e sua interessante capital - Copenhague.

Nenhum comentário:

Postar um comentário