domingo, 4 de novembro de 2012

SIENA, TERRA DO PALIO!

A terra do "Palio", o maior festival de origem medieval da Itália; da estupenda "Catedral Gótica", a mais bela da Toscana e talvez de todo o país; do "Campo", a maior e mais imponente praça do país. E mais, a poderosa cidade medieval que desafiou a força da renascentista Florença. Eis Siena, uma cidade com um dos mais belos centros históricos medievais de toda a Itália.


A bela "Piazza Del Campo" é um lugar especial para turistas e moradores.

A história de Siena começa, como a maioria das cidades da Toscana, com os etruscos. Afinal, como dissemos anteriormente, os etruscos dominaram toda aquela região no período anterior a Cristo.

 Mas foram os romanos, ainda no século I a.C, que fundaram a cidade, chamando-a de "Sena Julia". A urbe ainda tem, como Roma, uma origem lendária, sendo atribuida ao filho de Remo a fundação da cidade.

O apogeu de Siena na Idade Média corresponde à vitória na "Batalha de Montaperti"  (1260), onde, na oportunidade, os ghibellini de Siena derrotaram os guelfi de Florença. Na mesma época, sob o "Governo dos Nove" (era comum o executivo ser constituído por nove pessoas, durante a era medieval), a cidade ganhou seus principais monumentos arquitetônicos.

Rival histórica de Florença durante a Idade Média (após a vitória de Montaperti, em 1260, chegou a ser derrotada séculos depois e governada pelos Médicis), a cidade de atuais sessenta mil habitantes ainda disputa com a cidade berço do Renascimento o título de maior atração da Toscana. Difícil dizer, cada uma delas tem sua vocação: a de Florença, o respiro do arte renascentista; a de Siena, a maravilha de ser gótica. Não tem escolha. A opção mais sensata é curtir ambas!

Não acredito que Siena seja superior à Florença em matéria de atrações. Mas acredito firmemente que a cidade merece mais que um passeio bate-e-volta, dadas as atrações e belezas de arquitetura gótica existentes no local. Dois dias inteiros na capital gótica da Toscana seriam ideais!

Vamos às atrações principais desta incrível urbe.

A "Piazza del Campo", ou "Il Campo" para os sienenses, é o lugar mais fotografado da cidade e mais conhecido mundo afora.


"Il Campo", uma das praças mais lindas da Itália. Pallazo Pubblico e Torre de Mangia.

Ali, destacam-se o "Pallazo Pubblico", a "Torre de Mangia" e o melhor museu da cidade, o "Museo Civico", dentro do "Pallazo Pubblico".

A "Piazzo del Campo" é o centro cívico e social da urbe desde o "Governo dos Nove", ainda na Idade Média.

O "Pallazo Publico" é uma maravilha gótica e é a principal atração da "Il Campo".  A sua principal atração, em seu interior, é mesmo o "Museo Civico". O museu abriga obras com cenas históricas, o que é bem interessante.  Destaque, neste museu,  para a "Sala del Mappamondo" (afrescos belíssimos de Simone Martini, sendo as obras "Maestá" e "Guidoriccio da Fogliano" as mais belas); e a "Capela", belíssima e ricamente decorada.

A "Torre de Mangia", com 102 metros de altura e 500 degraus, permite uma visão diferenciada da cidade. No entanto, é preciso paciência, tanto para subir os degraus, como para esperar a fila, já que são permitidos apenas 30 pessoas por vez na subida. O ingresso custa 8 euros.

Outro destaque bastante importante da cidade  é justamente a sua  Catedral Gótica, o "Duomo de Siena". A riqueza de detalhes impera, tanto exteriormente, quanto interiormente. É, indiscutivelmente, uma das mais belas igrejas não só da Itália, como de todo o mundo.



A linda catedral gótica. O "Duomo de Siena".
Destaque para a fachada, lindíssima e com detalhes góticos que impressionam.

No interior, vale visualizar os impressionantes pisos, dos mais bonitos dentre todas as igrejas do mundo; o "Púlpito", de Nicola Pisano, o "Altar-Mor" e o "Coral", todos impressionantes.

Junto à catedral há ainda o "Battistero di San Giovanni", onde há obras de Ghiberti e Donatello, e a "Cripta".

Mas o que faz de Siena uma cidade diferenciada é mesmo a expectativa gerada, o ano todo, pelo "Palio di Siena", o mais fabuloso festival italiano.

O "Palio di Siena" é uma festa típica da urbe, cujo ápice é uma corrida de cavalos, que ocorre na "Piazza Del Campo", ou "Campo" para os sienenses, todo dia 02 de julho, com repeteco no dia 16 de agosto, às 19 horas. São dezessete "contrades', representando bairros da cidade, dos quais dez são sorteados para o primeiro embate, em Julho. Em agosto, no segundo e mais importante embate, os sete que não foram sorteados participam automaticamente, sendo que os outros três participantes saem do sorteio entre os dez que disputaram em julho.


O Palio de Siena. Bandeiras das contrades e corrida de cavalos. Em foto de cartão-postal da cidade.

A origem do Palio é superinteressante. Os distritos sienenses, chamados "contrades", são o resultado do declínio do governo central, ainda na Idade Média. Ganharam força, e deu-se o início ao festival. O principal dos eventos, o de agosto, iniciou-se, no século XIII,  como uma homenagem à Virgem Maria e, também, como comemoração da vitória sobre Florença na batalha de Montaperti.  O festival de julho, por sua vez, só foi aprovado em 1656, e é uma homenagem à figura religiosa de Nossa Senhora, mais especificamente à "Madona di Provenzano".

Interessante observar que, no século XIII, os contrades eram em torno de 80. Desses, hoje apenas 17 lutam pela hegemonia da cidade.

Os dezessete distritos são divididos em três "terzos" (espécies de regiões da cidade): cittá (Aquila, Chiocciola, Capitana Dell´Onda, Pantera, Selva, Tartuca); San Martino ( Civetta- coruja, Leocorno, Nicchio, Valdimontone, Torre) e Camolia (Bruco, Drago, Giraffe, Istrice, Luppa e Oca). Curiosamente, muitos dos distritos são representados por animais - coruja, pantera, tartaruga, dentre outros.

O ponto alto é mesmo a corrida de cavalos, que demora menos de dois minutos. Também o tremular das bandeiras, feita por representantes de cada contrade, e os tambores constituem um grande espetáculo.

Vale destacar que existem outros "palios" por toda a Itália; no entanto, o mais famoso mundialmente é mesmo o de Siena.

É praticamente impossível assistir à festa, já que a multidão toma conta da "Piazza". Mas é possível fazer reservas com hotéis para assistir de uma posição mais confortável, já que, no meio da multidão, o turista teria que chegar bem cedo e esperar muitas horas.

Uma última dica preciosa para curtir Siena são justamente os "passes combinados". Um dos principais é o "OPA SI Pass", que, por 10 euros, dá direito á entrada no Duomo, Museu Dell´Opera, Batistério, Cripta e Oratorio de San Bernadino (atração anexa à outra igreja, a de "San Francesco).  E há, ainda, no rol dos passes principais, o "SIA Summer" (15 de março a 31 de outubro) e o "SIA Winter" (1º novembro a 14 de março), que é válido por sete dias e dá direito a inúmeras atrações. Para o Museo Civico e a Torre, há também um compensador passe combinado.

Siena, terra do Palio e da arquitetura gótica. Uma cidade imperdível na Toscana!

Nenhum comentário:

Postar um comentário